Há 7 anos atrás, por esses dias de setembro, foi a primeira vez que participei de uma ação pela legalização do aborto.

Foi uma colagem de lambe-lambe na universidade. Muitas de nós estavamos conhecendo o feminismo, e pra nós, nossa formação feminista veio junto com a ação.

colagem da MMM pela legalização do aborto, em 28 de setembro de 2004.

A gente organizava debates, lia, discutia, ia pras manifestações e colava lambe-lambe.

Na semana seguinte desta colagem, umas 3 pessoas vieram procurar “as feministas”, porque estavam (ou conheciam alguem que estava) enfrentando uma gravidez indesejada. E queriam ajuda. Foi meu primeiro contato com quem decidiu de forma autonoma e responsável sobre sua vida, mas não tinha condições de colocar em prática sua decisão.

Desde muito antes disso, até agora, nossa luta pela legalização do aborto continua.

Foram muitas colagens de lambe-lambe, panfletagens, manifestações.

Nossa luta, nas ruas!

Só neste último período, vários vídeos foram feitos, colocando a questão do aborto a partir da perspectiva da autonomia das mulheres.  Clandestinas – o aborto no Brasil, é o que eu mais gosto.

Ao mesmo tempo, a ofensiva conservadora e misógina contra o direito ao aborto cresceu, várias clínicas no Brasil foram fechadas a partir de 2007, mulheres processadas. Outras tantas continuam engravidando sem querer. Abortam, em condições seguras ou não.

Se na universidade, no bairro ou no trabalho tem um grupo feminista, ou alguma amiga sua ou alguem da família já fez, você já tem pra quem perguntar o que fazer.

Senão… Google, né?

Um dos primeiros posts que escrevi na vida foi pro trezentos: o aborto em 3 pilulas.

Até hoje, por conta desse post, aparece gente perguntando indicação sobre como proceder. Muita gente é, claramente, da turma pró morte das mulheres. Muitas outras, estão passando por uma situação complicada, como aquelas de 7 anos atrás.

O problema é que a gente fica sem ter muito o que fazer por aqui, já que o aborto é crime no Brasil. Mas na Holanda não é.

Então, fica a dica: www.womenonweb.org

A partir deste site, é possível ter acesso e informações sobre a realização do aborto com comprimidos. É um mecanismo de apoio às mulheres que querem realizar um aborto mas vivem em países que as consideram criminosas por decidir sobre seu corpo, sua vida, seu destino.

 

Este serviço de aborto medicinal na internet que ajuda as mulheres a ter acesso a um aborto seguro com comprimidos de forma reduzir o número de mortes devidas a abortos inseguros.

A Women on Web ajuda apenas as mulheres que vivem em países onde não estão disponíveis serviços de aborto seguro.

Um aborto com comprimidos é muito seguro e é semelhante a um aborto espontâneo. Milhões de mulheres já o fizeram.

(www.womenonweb.org)

***

Enquanto isso, estamos na luta pra #legalizaroaborto aqui no Brasil e em muito países no mundo (nunca é demais lembrar que o aborto é proibido principalmente no Sul global, né?).

No Brasil, estamos na Frente contra a criminalização das mulheres e pela legalização do aborto e temos uma plataforma

***

Hoje, 28 de setembro, estamos nas ruas e nas universidades realizando debates e ações para tornar pública a nossa visão de que o aborto é um direito das mulheres. Queremos acabar com a hipocrisia e explicitar que, ainda que a legislação proiba, as mulheres interrompem a gravidez, quando esta é indesejada. Clandestinas somos todas. Mas, as pobres, maioria negras, são as que mais morrem por realizar o aborto em condições inseguras.

Esse post é parte desta luta, e parte da blogagem coletiva pela legalização do aborto convocada pelas blogueiras feministas.

As 19h, estaremos na rede, no twitaço para #legalizar o aborto, convocado pelas mulheres da UNE e pela Marcha Mundial das Mulheres.

 

 

 

Anúncios

7 comentários sobre “Clandestinas

  1. Boa tarde Tica, também sou a favor da legalização e da descriminalização do aborto. Adorei a iniciativa de vocês, e admiro muito tudo o que estão fazendo, pois até então não sabia que muitas mulheres estavam querendo dar voz aos seus direitos. E eu descobri isso da pior forma possível. Estou grávida de 9 semanas indesejavelmente, e desde quando descobri, quando estava com 7 semanas, estou desesperada atrás de ajuda. Cheguei a comprar chás (mas não ingeri por recomendação de meus pais), pesquisei muito sobre o cytotec, ongs, websites, clínicas, mas até agora não achei nada, já sofri um golpe na qual o prejuízo foi de R$ 820,00, tive consultas de R$ 100,00 a 200,00, e mesmo assim nada. Meu maior medo nessa situação toda, é não conseguir resolver essa situação até as 12 semanas e olhar para a criança daqui a 7 meses e falar: porque é que você ta aqui? só nasceu para atrapalhar minha vida… Enfim, tenho apenas 19 anos e recém terminei o ensino médio.
    Vim aqui lhe pedir ajuda, se você souber de qualquer coisa, qualquer mesmo, que possa me ajudar entra em contato comigo, por favor.

    valedaelisa@gmail.com

    obrigada.

  2. Boa Noite
    Minha prima esta gravida de 4 semanas apenas, ja tem uma filha de 7 anos e nao pode ter outro bebe agora denovo, senao vai ser “O Atraso” na vida dela, nao vai mais se formar na faculdade (falta apenas 1 ano), etc, etc…alem disso, ele é separada e mora de favor com os pais denovo….enfim….
    Se alguem por acaso tiver algum contato de alguma clinica para realizar uma simples curetagem segura nesse pais de imbecis hipocritas, por favor….me responda por email…..ricardomaltamonteiro@gmail.com
    Desde já, agradeço
    Muito obrigado

    Ricardo Monteiro – Sao Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s